Setembro Amarelo – Programa Pânico na Band faz piada com o tema Suicídio

Mês Mundial de Prevenção ao Suicídio - Cenas da
Mês Mundial de Prevenção ao Suicídio – Cenas da “brincadeira” do programa Pânico na Band (imagem retirada de http://i.huffpost.com/gen/4328516/images/o-PNICO-facebook.jpg)

Em Setembro, nossa temática é a Prevenção ao Suicídio e, por se tratar de um assunto considerado um Tabu, seja pela envergadura do tema (e seus desdobramentos), seja pela distorcida visão Social ou Religiosa de que aquele que atenta contra a própria vida é fraco ou pecador, tento trazer o tema da forma mais séria e comprometida possível…

…Apesar de fracassar miseravelmente em ser uma pessoa Séria. Vamos ao Post de hoje.

PÂNICO NA BAND E A “BRINCADEIRA” DO SUICIDIO
Há quem veja na possibilidade de se matar uma ótima brincadeira ou um jogo com altas doses de adrenalina, como no caso do jogo da asfixia. Aqui mesmo já falamos outras vezes sobre os problemas que o programa Pânico na Band acumula por conta de seu questionável senso de humor.

Desde o prejuízo de um Drone nas dependências da Rede Record até humilhar uma Panicat em cadeia nacional, os integrantes do programa parecem não ter ninguém próximo que aponte os problemas de suas “brincadeiras”. E eu achando que nada superaria o Gugu entrevistando a Suzane von Richthofen, como se ela fosse a coitadinha…

….se bem que o próprio Gugu se superou desenterrando a Dercy.

O que me faz pensar que qualquer parâmetro que relacione a Moral Humana ao Ibope televisivo seja meramente ilustrativo.

Enfim, por motivos que (talvez) nem Freud explique, os integrantes do humorístico acharam que seria uma brilhante ideia expor outra gostosa genérica do programa numa “pegadinha”, agora,  envolvendo uma simulação de suicídio.

Durante a exibição do dia 15/08/2016, o quadro Trollagens do Pânico colocou a Panicat Babi Muniz e um Ator contratado que fingiria tira a própria Vida ao terminar, de forma turbulenta, o relacionamento com a namorada por telefone.

Apesar da ideia de banalizar o sofrimento que um suicida em potencial possa sofrer (e normalmente sofrem tudo sozinhos), o Ator contratado levou tudo até o fim, disparando um tiro de mentira na proópria cabeça (com direito a sangue na parede e tudo) diante de Babi e tudo transmitido pela Rede Bandeirantes.

Ah, vale ressaltar que, neste dia, era o aniversário da moça.

QUAL FOI A REPERCUSSÃO DO PROGRAMA?
Graças a Deus, o que pareceu (em algum momento do dia) pareceu uma ideia sensacional, foi reprovado pelos internautas.

Pra quem não sabe, há um Mapa da Violência onde mostra o aumento de 42% das taxas de suicídios entre jovens (entre 2002 e 20012), ainda, em 2015, um estudo acadêmico evidencia o aumento de suicídio entre policiais Civis, Militares e Federais.

Tentamos conscientizar o Público de que tirar a própria vida nunca poderá fazer parte de uma solução (seja a pequeno, médio ou longo prazo). Claro, é fácil falar para alguém cheio de problemas e que se sente momentaneamente incapaz de mentalizar uma solução para tudo,  mas o Diálogo sempre é fundamental, independente de seus problemas.

Contudo, infelizmente, nem sempre postamos coisas favoráveis para uma benéfica e favorável discussão sobre o Tema, principalmente quando transformam o Suicídio em motivo de risada.

INDEPENDÊNCIA OU MORTE: A PINTURA DE MOREAUX

FONTE ORIGINAL: Blog Histo é História

———————–

1

A tela “A proclamação da Independência”, de 1844, foi feita a pedido do Senado Imperial e foi pintada por François-René Moreaux. A obra encontra-se hoje, no Museu Imperial de Petrópolis, Rio de Janeiro. Segue abaixo uma breve analise que fiz sobre a pintura e a mensagem que ela quer passar.

2

No centro do quadro, D. Pedro aparece cercado por soldados e pessoas comuns. Pedro acena com seu chapéu, passando uma mensagem de união e harmonia entre o príncipe e o povo, seus súditos. D. Pedro olha para o céu como se seu ato fosse uma realização divina.

3

Na intenção de situar o épico acontecimento em terras tupiniquins, Moreaux cometeu a gafe de inserir alguns coqueiros. Um erro, pois os coqueiros eram típicos, para a época, das paisagens do nordeste e não de São Paulo.

4

Enquanto a maioria dos personagens da obra lançam seus olhos para o céu, uma menina volta seu olhar para o espectador da obra. A intenção é de atrair o espectador para o momento épico apresentado. E uma senhora ajoelhada em sinal de respeito a D. Pedro.

5

Ao contrário de D. Pedro e seus soldados, as pessoas que assistem o episódio estão em movimento acenando, caminhando e se abraçando. A intenção é de transmitir a ideia de felicidade do povo.

Setembro Amarelo – ABP e CFM lançam Cartilha de combate ao Suicídio

SuicidioConforme já se tornou rotina (acho que desde 2013 que mantemos essa rotina), o mês de Setembro é reservado a postagens que discutam o Suicídio. Tal assunto ainda é considerado um tabu e, para quem não sabe, estimular ou induzir alguém a tirar a própria Vida é crime , conforme Art. 122 do Código Penal:

Art. 122 – Induzir ou instigar alguém a suicidar-se ou prestar-lhe auxílio para que o faça:
Pena – reclusão, de dois a seis anos, se o suicídio se consuma; ou reclusão, de um a três anos, se da tentativa de suicídio resulta lesão corporal de natureza grave.
Parágrafo único – A pena é duplicada:
Aumento de pena
I – se o crime é praticado por motivo egoístico;
II – se a vítima é menor ou tem diminuída, por qualquer causa, a capacidade de resistência.
Infanticídio

Todos os anos são registrados dezenas de milhares de suicídios no nosso país e, independente da orientação religiosa ou Status Social, nada garante que tirar a própria vida trará alguma solução para eventuais problemas ou mesmo diminuir alguma eventual mágoa ou tristeza.Cartilha suicídioO Suicídio não faz parte de qualquer solução (curto ou longo prazo), mas a Conversa amiga, sim.

Aqui já discutimos muito sobre esse assunto e sempre é bom pensar numa abordagem, não apenas de convencer a Pessoa a mudar suas ideias e trazê-la de volta, mas na intenção de prevenir um princípio de intenção que brote na cabeça do cidadão.

Uma dessas abordagens que agora reforçamos é a Cartilha Suicídio: Informando para Prevenir, criada pelo Conselho Federal de Medicina – CFM e Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP , numa parceria para combater os altos índices de suicídio no Brasil.

Suicídios podem ocorrer de forma não intencional (como ocorre na brincadeira da asfixia), estimulados pela Cultura da região/época/história (como ocorre com o ritual Sati ou no ritual Seppuku) ou deliberadamente.

Segundo o material, é possível distinguir algumas características adotadas por pessoas que pretendem se matar e qualificar os Profissionais da Saúde (e qualquer um que se interesse pelo assunto) é fator importantíssimo para identificar um “suicida em potencial, alcançá-lo e resgatá-lo.

Ainda, o material também tem dados atualizados sobre o assunto e formas de abordagem, vale muito a pena conhecer esta Cartilha e lembre-se, a Conversa é sempre a melhor iniciativa para alcançar um Alguém que, cercado de seus próprios problemas e incapaz de encontrar uma solução e cansado demais para tentar algo, apenas precisa de outro Alguém que o escute, ou seja mais solidário do que normalmente costuma ocorrer.

Pense nisso, mas faça algo também.

Canoa encontrada no Rio Grande do Norte é mais antiga do que o descobrimento do Brasil

gregaeudaimonia.wordpress.com - Canoa Monoxila
FOTOS: Lenilton Lima

Ah, a arte de velejar pelas águas…

Com seu encanto e sedução, o Homem sonha em se aventurar pelos rios, mares, oceanos e coisas do tipo desde que o Mundo é mundo e não apenas isso, mas desbravar rotas marinhas também traz uma caralhada de possibilidades aos Desbravadores de plantão.

As Grandes Expedições estão aí pra provar o que eu digo.

E pensar que tudo isso começou com a boa e velha Canoa. No Antigo Egito (sim, eu tenho que falar do Egito), as canoas feitas de papiro já eram uma sensação entre as pessoas daquela época e a canoa ainda é um recurso bastante interessante atualmente. No Rio Garnde do Norte, foram encontradas quatro canoas cujo uma delas, depois de estudos, é mais antiga do que o descobrimento do Brasil.

Chagas abertas!

gregaeudaimonia.wordpress.com - Canoa Monoxila
Canoa Monoxila

A DESCOBERTA
Por volta de 2013, depois de uma forte estiagem, foram encontradas canoas monóxilas (canoas feitas de um único tronco de árvore) no rio Extremoz (Região Metropolitana de Natal). São quatro canoas encontradas e estudos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mostram que a idade de cada uma delas varia entre 210 e 700 anos.

Cada canoa mais velha do que a outra.

O pesquisador Hamilton Marcelo Morais Lins Júnior, autor de uma dissertação (mestrado) sobre Arqueologia Marítima fez mergulhos na lagoa Extremoz quando da descoberta das canoas em questão.

Depois de estudos baseados no Carbono 14 para datação de uma idade aproximada do artefato, o pesquisador chegou na seguinte conclusão:

  • A Canoa Extremoz 01 tem 230 anos
  • A Canoa Extremoz 02 tem 210 anos
  • A Canoa Extremoz 03 tem 280 anos
  • A Canoa Extremoz 04 tem 700 anos

A canoa de 700 anos é, consequentemente, anterior a data de descobrimento do Brasil, sendo considerada (claro!) o objeto arqueológico náutico mais antigo do país e dizem que ainda há cerca de outras 12 canoas no fundo da lagoa.

gregaeudaimonia.wordpress.com - Canoa Monoxila
As canoas expostas. A maior tem mais de 2 metros

DESCASO!
Apesar de tamanha importância (e relevância) Histórica e Cultural, estes artefatos não receberam o devido tratamento e foram encontrados sem qualquer tipo de cuidado no gramado da entrada da Fundação de Cultura Aldeia Guajiru (região metropolitana de Natal).

As fotos são de Lenilton Lima (fotógrafo e pesquisador), que encontrou as canoas nas condições já mencionadas. O Museu Câmara Cascudo também está cuidando de uma das canoas. Uma reportagem completa sobre o assunto, você encontra no site Tribuna do Norte.

SENTA QUE LÁ VEM A HISTÓRIA…
Segundo o Wikipédia, a região onde fica o lago de Extremoz (litoral do Rio Grande do Norte) foram, inicialmente, habitadas pelos índios tupis e paiacus que viviam às margens da Lagoa de Guajiru. Esta terra foi dada aos Jesuítas  pelo Capitão-mor Jerônimo de Albuquerque.

A ideia era cuidar da aculturação… digo, catequização os Índios.

Aprenda o Mito da Caverna (Platão) com a Turma do Piteco (Mauricio de Sousa)

Eu sempre falo que Mauricio de Sousa é um gênio.

Suas HQs (e ideias de modo geral) levam seus leitores muito mais além do que o simples entretenimento… não sei quanto a essa Nova Turma da Mônica, mas posso responder sobre os quadrinhos mais antigos dele. Hoje vamos aprender, com a ajuda do Piteco, algo sobre a Filosofia do Mito da Caverna (ou Alegoria da Caverna, tanto faz), do musculoso filósofo grego Platão.

O quê?! Você não sabe quem é o Piteco?!

Meus pesames. Enfim, vamos ao que interessa!

MitoDaCavernaPiteco
Clique na imagem para ampliar

Da mesma forma que ocorre na Alegoria apresentada por Sócrates no livro VII do livro A República (Platão escreve o livro, mas quem tá na história é Sócrates), os indivíduos socados no fundo da caverna (presos e imobilizados desde a infância) só sabiam o que se passava fora da Caverna por causa das sombras projetadas no fundo da Caverna (não podiam se mexer, apenas olhar pra frente), então eles entendem as sombras como o “Mundo Real”.

Por exemplo, se alguém passasse na frente da Caverna com um vaso na cabeça, eles não entenderiam que se trata de alguém com um vaso na cabeça, mas entenderiam aquela imagem como algo real.

Sócrates (professor de Platão)  acreditava no “Mundo Sensível” ou “Mundo das Ideias” onde tudo que temos por aqui (Cidades, conjunto de Leis, Pokémon GO) já existia nesse Mundo das Ideias, só que numa versão super ultra hiper mega ultimate PERFECT COOL, my friend .

Sim, eu sei, é complicado pacas. Uma boa referência sobre o Mundo das Ideias e o Mito da Caverna pra você complementar é o filme Matrix.

Eu fiz uma postagem no meu outro blog sobre uma interpretação estilo Sócrates da animação Madagascar. Passem lá e comentem.

MitoDaCavernaPiteco (1)
Clique na imagem para ampliar

Voltando ao assunto, Sócrates conclui que o ideal seria que um dos prisioneiros (cativos) fosse liberto para entender, de fato, o que acontece fora da Caverna, então, ele seria capaz de explicar aos outros as Verdades que acontecem ao seu redor e que todos ignoram.

Você pode encontrar o trecho do livro onde há esse diálogo conhecido como Mito da Caverna na página do Wikipédia clicando aqui.

O bom é que, como se trata de um texto escrito antes de Cristo, Mauricio faz o favor de criar um paralelo com nossa Sociedade refém da TV e das Mídias que…. não sou eu quem vai dizer se elas manipulam ou não, mas que alguns canais são bem tendenciosos, isso sim.

Mais uma vez, Mauricio de Sousa promove uma oportuna discussão interessante. Em outros momentos, podemos ver em suas HQs assuntos (que nem sempre chegam aos ouvidos dos Jovens com a fluidez e a veracidade que deveria) como Espiritismo, Educação dentro e fora de casa, e outros tantos momentos, o cartunista e empresário (que também é membro da Academia Brasileira de Letras) mostra que se preocupa com o conteúdo de suas histórias.

Ah, claro que, aqui e acolá, aparece algo de conteúdo questionável ou que dê margens para coisas como Porra, Mauricio!

Ninguém é perfeito! Se não gosta, faça melhor, seu puto.

Arqueologia, História do Brasil e geral, crítica e vista por baixo, Mitologia, Filosofia e patifarias.

%d blogueiros gostam disto: